Alunos das escolas estaduais de SP vão ter aulas por “app” durante o surto do coronavírus

O coronavírus causou mudanças sociais em todo o mundo e uma delas foi a suspensão das aulas nas escolas públicas e privadas. Pensando em minimizar os efeitos que o surto do vírus pode causar na educação, o governo de cada estado começou a pensar em possíveis soluções e o estado de São Paulo, anunciou a possibilidade de aulas onlines para algumas escolas. Veja mais a seguir:

Levou algum tempo até que o coronavírus se tornasse uma pandemia, cerca de 4 meses, e desde o anúncio, todos os setores sociais passaram a ser afetados desde a medicina até a educação.

No mês de março, o governo junto às instituições de ensino, concordaram em suspender as aulas tanto nas escolas públicas quanto na escolas privadas. A principio, a ideia era substituir as férias de julho pelo período de quarentena em março, mas de acordo com pesquisas, a medida poderá não ser suficiente para normalizar a situação escolar dos estudantes.

Por isso, o Governo de São Paulo anunciou a possibilidade dos alunos de algumas instituições começarem a ter aula em casa através de um aplicativo, para que o planejamento pedagógico não sofresse alterações mais drásticas.

Os alunos da rede pública já contam com um material online para complementar o ensino dentro das escolas, o Caderno no Aluno. Na atual situação educacional do país, o material será muto importante para auxiliar os alunos nas matérias escolares.

Além do Caderno do Aluno, no qual os estudantes podem praticar os conhecimentos adquiridos através das aulas onlines, também é possível verificar as respostas do caderno do aluno 2020 totalmente atualizadas.

Todas essas medidas vão entrar em vigor em breve com o intuito de não prejudicar os estudantes, assim como manter o pagamento de mensalidades para as escolas particulares, que prometem ser bastante afetadas pela situação do coronavírus.

As aulas onlines para os estudantes paulistas ainda não tem previsão de inicio ou término, e pode estar dependendo também de cada instituição de ensino que irá aderir ao modelo.

A expectativa é que a ação possa entrar em vigor rapidamente para que esses estudantes possam estar de acordo com os anos letivos e mais pessoas do sistema educacional possam voltar a atuar, mesmo a distância.

Os efeitos do coronavírus ainda não podem ser totalmente previstos tanto para a educação quanto para outros setores, mas é preciso começar a atuar com pequenas soluções pensando em um resultado melhor para os próximos meses.

O sistema brasileiro de cotas raciais nas universidades funciona?

As cotas raciais surgiram como uma proposta de igualar os estudantes que sofreram algum prejuízo histórico. Esse sistema foi instalado nas universidades e hoje, já representa um percentual significativo dos estudantes nas instituições de nível superior. Mas será que esse sistema realmente funciona?

Apesar de ter sido amplamente difundido no país somente a partir chamada Lei das Cotas, de 2012, o sistema de cotas se iniciou no Brasil nos anos 2000, quando a UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) implementou o primeiro sistema de cotas do país, reservando metade de suas vagas para estudantes egressos de escolas públicas.

Mais tarde, em 2004, em meio a muita polêmica, a UnB (Universidade de Brasília), foi a primeira universidade brasileira a se utilizar do sistema de cotas raciais. As instituições brasileiras atualmente possuem tanto cotas sociais (ligadas a renda), quanto raciais (ligadas ao contexto étnico-racial).

O Brasil, como muitos outros países, possui algumas “injustiças históricas”, herdadas do brutal processo de colonização e do período escravista, que resultaram em menor acesso ao ensino e ao mercado de trabalho por parte da população negra e indígena do país. 

Graças às cotas, milhares de pessoas que não teriam acesso ao Ensino Técnico e Superior de outra forma puderam ingressar nas universidades e cursos técnicos nos últimos anos.

Como funciona a distribuição de vagas?

Muitos acreditam que políticas desse gênero são uma ponte para a integração social, além de reduzir a desigualdade social e racial. No entanto, também há críticas de cidadãos que se colocam contra, por acreditar que as cotas ferem os princípios de igualdade ou colocam o Governo numa posição de conforto para não investir na Educação Básica.

As vagas de cotas raciais são reservadas para pessoas autodeclaradas pretas, pardas ou indígenas. Essas vagas podem ser acessadas tanto pelo Prouni 2020como pelo Sisu 2020.

O sistema possui um bom retorno?

Programas do Governo como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Sistema de Seleção Unificada de Educação Profissional e Tecnológica (SisuTec) também oferecem vagas de cotas raciais. O primeiro oferece bolsas para alunos de baixa renda que custeiam de 50% a 100% da mensalidade em universidades privadas durante todo o curso.

Já o segundo é um sistema que facilita o ingresso da população brasileira no Ensino Profissional e Tecnológico oferecendo vagas gratuitas em cursos por todo o país. As cotas raciais do SisuTec são atreladas à rede educacional no qual o aluno cursou o ensino médio e as vagas reservadas para pessoas negras, pardas e indígenas são em quantidade proporcional.

O que podemos dizer é que a integração desse público é essencial para a construção de uma sociedade mais igualitária, e os resultados desse sistema pode ser visto na variedade de profissionais no mercado de trabalho.

FONTE: sisutec2019.inf.br

5 cursos rápidos para aprender um nova profissão

Você já deve ter notado que no mercado de trabalho qualificação é essencial. Quem está procurando uma vaguinha de emprego ou não está satisfeito em sua área de atuação, pode ter a grande chance de mudar o rumo de sua carreira se qualificando. Para ajudar você, preparamos uma lista com 5 cursos rápidos para aprender uma nova profissão.

Os cursos que serão mencionados abaixo possuem duração entre 6 e 2 anos, além de possibilitar a aquisição de um certificado de conclusão. Ou seja, permite que você se qualifique para o mercado de trabalho com um diploma reconhecido em pouco tempo.

Vale mencionar ainda que existem muitas instituições ofertando os seguintes cursos e você pode encontrar uma unidade de ensino bem perto de você. Veja as opções:

Curso de Cabeleireiro e Barbeiro

A área da beleza é muito interessante para quem esta querendo mudar de carreira porque é um dos mercados que dificilmente entra em crise. Cada vez mais técnicas são elaboradas e esta é uma formação que permite independência para o trabalhador. É válido considerar um curso de cabeleireiro para mudar totalmente o rumo da sua carreira.

E vale mencionar ainda que o mesmo vale para o curso de Barbeiro. Cada vez mais salões etão sendo inaugurados e quem tem um diferencial pode até abrir o seu próprio negócio. Esse cursos são interessantes para atuar no mercado.

Curso de Confeitaria

Já considerou atuar como confeiteiro? Pesquisas recentes mostraram que cada vez mais estabelecimentos estão investindo na área de alimentação e entregas via internet.

Para quem quer uma atuação diferente, essa formação é bastante recomendada, dando a mesma opção de prestação de serviço independente e flexibilidade de horário para os capacitados.

Curso de Desenvolver Mobile

Os cursos da área de tecnologia são bastante promissores para o próximo ano, então quem está pensando em mudar de careira pode apostar nesse mercado. Um dos cursos mais procurados por quem quer se qualificar é o de Desenvolvedor Mobile.

A formação é oferecida como modalidade de ensino técnico, e o profissional da área será responsável pela elaboração e manutenção dos sistemas de uma empresa.

Curso de Planejamento e Organização de Eventos Sociais

O Curso de Planejamento e Organização de Eventos Sociais é principalmente recomendado para quem gosta de decoração e possui senso de liderança.

O profissional da área pode atuar em diversos tipos diferentes de eventos, sendo também um trabalho diferenciado e dificilmente monótono.